Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Faculdade de Biotecnologia da UFPA recebe novo espaço físico

  • Publicado: Sábado, 04 de Novembro de 2017, 15h02
  • Última atualização em Segunda, 02 de Abril de 2018, 20h40
  • Acessos: 753
imagem sem descrição.

A Faculdade de Biotecnologia, que oferta os cursos de Biotecnologia e de Engenharia de Bioprocessos, do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Pará (ICB/UFPA), está com um novo espaço físico para o desenvolvimento das atividades acadêmico-científicas. O prédio foi inaugurado no dia 25 de outubro, em cerimônia que reuniu dirigentes da Administração Superior, docentes, técnicos e discentes da Universidade.

A mesa oficial de inauguração foi presidida pelo reitor Emmanuel Tourinho e teve como convidados o vice-reitor, Gilmar Pereira da Silva; o prefeito Multicampi, Eliomar Azevedo; os pró-reitores de Ensino de Graduação (Proeg), Edmar Costa; de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp), Rômulo Simões, e de Extensão (Proex), Nelson Souza Junior; o diretor do ICB, José Ricardo Vieira; e o diretor da Faculdade de Biotecnologia, Luís Adriano do Nascimento.

Durante a solenidade, o reitor falou do desafio que as universidades enfrentam para manter a excelência diante da atual conjuntura em que vive o País. “Apesar da conjuntura adversa, trabalhamos para manter uma agenda positiva na UFPA e estamos tendo sucesso com novos avanços. É nosso papel procurar dar condições para que as unidades funcionem adequadamente. Ao mesmo tempo, é esperado que as unidades acadêmicas busquem cumprir, de modo cada vez melhor, o seu papel de promover o ensino, a pesquisa e a extensão de excelência na Instituição. O que garante a defesa das universidades públicas do Brasil é justamente a excelência do que fazemos. É por isso que nós nos afirmamos como instituições indispensáveis para o País, para o seu desenvolvimento econômico e social”, afirmou o reitor.

Emmnuel Tourinho ressaltou, ainda, que a área da biotecnologia lida com um diferencial da Amazônia no ambiente competitivo nacional e internacional. “Precisamos ter políticas públicas para aproveitar essa expertise que estamos criando aqui, na Universidade, para que isso impacte ainda mais o desenvolvimento da região e do País. Eu não tenho dúvidas de que isso, em algum momento, acontecerá e precisamos estar preparados para servir mais intensamente ao País, no momento em que for plenamente reconhecida a importância da pesquisa e do desenvolvimento na área da biotecnologia.”

A oferta de cursos em Biotecnologia no Brasil é recente, sendo a Universidade Federal do Paraná a pioneira no País e na América Latina, com a criação do curso no ano de 2000. Na UFPA, a criação do Bacharelado em Biotecnologia foi uma iniciativa de um grupo de professores, como estratégia para promover a formação multi e interdisciplinar e a capacitação de recursos humanos para atuar em pesquisa, desenvolvimento e gestão empreendedora da Biotecnologia, de forma a garantir o conhecimento e o salto de competitividade das riquezas da Região Amazônica.

Nova estrutura – O novo prédio da Faculdade de Biotecnologia possui 720 metros quadrados, divididos em dois pavimentos, nos quais passam a funcionar dois laboratórios (equipados com capelas, centrífugas, espectrofotômetros, peagâmetros, evaporadores rotativos, polarímetro, microscópio, entre outros), quatro salas de aula, sendo uma destinada às aulas de informática, um miniauditório, sala de direção, secretaria, almoxarifado e sete gabinetes para professores. O prédio também possui itens de acessibilidade para Pessoas com Necessidades Especiais (PNE).

Os recursos aplicados foram de aproximadamente R$ 2 milhões para a execução da obra e R$ 150 mil para a aquisição de equipamentos. Esses investimentos são do Programa de Reestruturação das Universidades Brasileiras (Reuni) e do orçamento ordinário da UFPA.

Para o diretor da Faculdade de Biotecnologia, Luís Adriano do Nascimento, a entrega de uma nova estrutura para as áreas de ensino, pesquisa e extensão da Universidade é resultado de um esforço conjunto, que envolve gestores, professores, técnicos e alunos. “Sem dúvida alguma, a área de ensino é a mais privilegiada por conta dos novos espaços pedagógicos, especialmente pela sala de informática exclusiva com equipamentos novos e os laboratórios dedicados ao ensino. Entretanto a pesquisa e a extensão também serão contempladas, uma vez que há professores na faculdade que se dedicam à pesquisa na área pedagógica e ao emprego de novas metodologias de ensino”, comemora.

Avaliação dos cursos – Atualmente, são 240 alunos ativos na faculdade, 160 do curso de Biotecnologia e 80 do de Engenharia de Bioprocessos. Na primeira avaliação do Ministério da Educação (MEC), o Bacharelado em Biotecnologia recebeu nota 3, com perdas de pontos em itens como: avaliação do Núcleo Docente Estruturante (NDE) e infraestrutura.

De acordo com Luís Adriano, o NDE passou a ser mais atuante, reunindo-se periodicamente para pensar em como melhorar o curso. “Agora, com a inauguração do prédio da faculdade, a expectativa é de crescimento deste conceito na próxima avaliação do MEC. No Guia do Estudante da Editora Abril, o curso já é 4 estrelas (o máximo é 5). A Engenharia de Bioprocessos, criada em 2016, deve ser avaliada pela primeira vez no próximo ano”, disse.

Texto: Ericka Pinto – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre de Moraes

registrado em:
Fim do conteúdo da página